terça-feira, 25 de setembro de 2007

Quartas de Final - São Paulo 3 x 4 Grêmio



Ex-são-paulino faz 3 e tira São Paulo da Copa do Brasil
Grêmio vence em pleno Morumbi e ameaça cargo de Oswaldo Alvarez
RICARDO PERRONE
DA REPORTAGEM LOCAL

A torcida do São Paulo teve ontem mais um motivo para reclamar do desmanche feito no time no ano passado. O meia-atacante Marcelinho, um dos atletas vendidos pela diretoria, fez três gols na vitória do Grêmio por 4 a 3, à tarde, no estádio do Morumbi. O resultado eliminou o São Paulo da Copa do Brasil e pode provocar a demissão do técnico Oswaldo Alvarez. O treinador são-paulino foi xingado de burro pelos torcedores, que pediram a sua saída. "Essa pressão é natural, mas só a diretoria pode dizer o que vai acontecer agora", afirmou Alvarez. Os dirigentes já tinham sido pressionados a trocar a comissão técnica após a eliminação na primeira fase do Paulista. Em cinco meses no Morumbi, Alvarez conquistou o inédito Rio-São Paulo e foi eliminado de dois torneios. O próximo compromisso dos são-paulinos é a Copa dos Campeões, no final de junho. Os gaúchos, que venceram o primeiro jogo por 2 a 1, enfrentarão o Coritiba, pelas semifinais. A vitória foi comandada por Marcelinho, que também permitiu que o São Paulo melhorasse no final, graças a sua expulsão. "Jogamos com três zagueiros para fazer uma marcação especial nos atacantes deles. Mas fomos mal e deixamos o Marcelinho jogar bem", disse Alvarez. O meia-atacante foi vendido pelo time paulista ao Olympique, que o repassou ao clube de Porto Alegre. Agora ele já está negociado com o Hertha (Alemanha). O Grêmio jogou quase todo o primeiro tempo no ataque. Aos 27min, Marcelinho fez o seu primeiro gol, ao aproveitar rebote. Os são-paulinos passaram a depender de uma vitória por pelo menos dois gols de diferença. Mas, logo após Marcelinho marcar, Carlos Miguel sofreu pênalti de Marinho. França cobrou no canto direito de Danrlei, aos 30min, e empatou. Aos 44min, França acertou um chute de perna esquerda e fez o segundo do seu time. Os gremistas reclamaram que ele teria ajeitado a bola com a mão. "Matei a bola no peito", afirmou o atacante, que foi observado por um representante do Borussia Dortmund (Alemanha). Aos 9min do segundo tempo, Marcelinho fez o seu segundo gol, dessa vez em cobrança de falta no canto direito de Rogério. Aos 12min, o ex-jogador do São Paulo driblou Rogério e recolocou o seu time em vantagem. Com um chute rasteiro, o volante são-paulino Alexandre empatou a partida, aos 23min e voltou a dar esperanças à torcida. Cinco minutos depois, Marcelinho foi expulso, por reclamação. Mas, aos 38min, o juiz Wilson de Souza Mendonça marcou pênalti de Maldonado em Luiz Mário. Os são-paulinos reclamaram, pois a infração havia sido fora da área. Zinho cobrou e fez o quarto gol gremista. A cobrança foi feita com um torcedor do São Paulo em campo, o que é irregular. (Folha de São Paulo, quinta-feira, 24 de maio de 2001 )



"Foram somente cinco meses com a camisa do Grêmio, período suficiente para que Marcelinho Paraíba seja lembrado com carinho. Foram dois títulos, o Gauchão e a Copa do Brasil, entre a chegada, no início de fevereiro, e a despedida, no final de junho, quando foi vendido ao Hertha Berlim-ALE. Claro, a Copa do Brasil teve muito mais relevância. Suas atuações, nas quartas de final, contra o São Paulo, no Morumbi, e na decisão, contra o Corinthians, no mesmo palco, o levariam à Seleção Brasileira. No primeiro jogo, fez três dos quatro gols contra o São Paulo – vitória de 4 a 3, no Morumbi, sua antiga casa.

– Aquele jogo não sai da minha cabeça. Fiz tudo certo, só que fui expulso – conta, direto de Varginha, a sede do Boa Esporte, seu clube atual.

Aos 38 anos, Marcelinho quer jogar “mais uns três”:

– Tenho saudade do Grêmio. Foi uma passagem curta, mas vitoriosa.
" (Zero Hora - 27 de outubro de 2013)


Jogo à tarde faz torcida se atrasar

O primeiro jogo do São Paulo após o racionamento de energia elétrica entrar em vigor teve um bom público, cerca de 20 mil pessoas. Mas o começo às 15h trouxe problemas para os torcedores.
Muitos são-paulinos chegaram atrasados por causa do trânsito. Com 20 minutos de jogo, cerca de 3.000 torcedores ainda tentavam comprar ingressos para a partida.
Enquanto o Grêmio dominava o jogo, do lado de fora do estádio, os torcedores são-paulinos corriam para as bilheterias.
Outros enfrentavam grandes filas para passar pelas catracas e entrar no Morumbi.
O público também foi bom nas outras partidas da primeira grande sessão da tarde causada pelas medidas adotadas pelo governo.
No Maracanã, o Flamengo perdeu a vaga nas semifinais da Copa do Brasil para o Coritiba, próximo adversário do Grêmio, diante de 27 mil torcedores. A partida terminou empatada em 1 a 1.
Pela Libertadores, o Vasco, que não divulgou o público, perdeu do Boca Juniors de 1 a 0 com São Januário quase lotado. (Folha de São Paulo, quinta-feira, 24 de maio de 2001)






SÃO PAULO: Rogério Ceni, Jean (Kaká 42/1), Rogério Pinheiro, Wilson, Reginaldo Araújo, Maldonado, Alexandre, Souza (Renatinho 21/2), Carlos Miguel, Ilan (Oliveira 29/2), França. Técnico: Oswaldo Alvarez (Vadão)

GRÊMIO: Danrlei, Marinho, Mauro Galvão, Anderson Polga, Anderson Lima (Gavião 43/2), Tinga (Roger 39/2), Eduardo Costa, Zinho, Rubens Cardoso, Warley (Luís Mário 29/2), Marcelinho Paraíba.
Técnico: Tite

Data: 23/5/2001, Quarta-feira, 15:00
Local: Morumbi, São Paulo
Juiz: Wilson de Souza Mendonça-PE
Cartões Amarelos: Mauro Galvão, Anderson Lima, Tinga
Cartões Vermelhos: Marcelinho Paraíba 28/2
Gols: Marcelinho Paraíba 28/1T, França 30/1T (pen), França 44/1T, Marcelinho Paraíba 08/2T, Marcelinho Paraíba 12/2T, Alexandre 23/2T e Zinho (pênalti) 39/2T.

Um comentário:

Unknown disse...

Em 2001 os jogos da copa do brasil eram realizados de tarde tanto que a final entre Grêmio e Corinthians e vice versa foram realizados em um Domingo a tarde coisa que hoje nao existe mais,sao realizados so de noite.